Vamos falar de... Mangá?!

13:52:00

Eu sei que cultura japonesa não agrada à muitas pessoas, e infelizmente dentro do meu círculo de amizade, menos de 10% aprecia o gênero, então vocês devem ter uma básica noção de como eu me sinto. 
Mas deixando isso de lado, a coluna trata-se de falar, não somente sobre uma coisa em específico, mas sim de qualquer coisa que venha ao caso. E para esta semana eu escolhi Mangá.

Eu vou aplicar uma série de mangás que, foram lidos por mim, eu apreciei, o que não é muito recorrente, pois para um mangá me atrair precisa ser muito bom mesmo. Então vamos ao que interessa.


Acho que de longe, Vampire Knight é um dos melhor mangás que eu já li em toda minha vida. 

Vampire Knight (ヴァンパイア騎士, Vanpaia Naito) é uma série de mangá shōjo escrita e ilustrada por Hino Matsuri. A série é publicada na revista Lala desde janeiro de 2005. Os capítulos são reunidos e publicados em tankōbon pela Hakusensha, com a série já possuindo 17 volumes lançados no Japão.

A história passa-se no Colégio Cross, um internato de prestígio que divide os alunos em dois grupos: A Day Class (Classe do Dia), cujos alunos são humanos e todos usam uniformes escuros, e a Night Class (Classe da Noite), constituído apenas por vampiros e todos usam uniformes claros. O objetivo do colégio é promover a convivência pacífica entre ambas as espécies. Então a principal regra para a Classe da Noite é que é proibido beber sangue humano dentro dos limites do colégio, em substituição, eles devem tomar pastilhas de sangue. Porém a maior parte da sociedade humana (incluindo a Day Class) não sabe e não pode saber da existência de vampiros, então para guardar esse segredo e fiscalizar se a Classe da Noite está seguindo as regras, foram criados cargos de Monitores que na realidade atuam como os Guardiões do Colégio. Por serem os únicos na Day Class que sabem sobre os Vampiros, Yuuki Kurosu (ou Cross, na versão americana), e Zero Kiryuu ocuparam tais cargos.
Yuuki não possui memória alguma antes dos seus 5 anos de idade, a sua única lembrança mais antiga é a de 10 anos atrás, quando foi salva por Kaname Kuran de um Vampiro de Nível E (Vampiro Ex-humano que perdeu a sua consciência e é dominado pelos instintos), que a atacara durante uma noite nevosa. Kaname a levou para casa de um velho amigo dos seus pais, Kaien Kurosu, onde foi adotada. Yuuki acredita, assim como o seu pai, que a maioria dos Vampiros são bons e que podem conviver amigavelmente com os humanos, ao contrário do seu parceiro, Zero, que odeia Vampiros e duvida da concretização desse sonho pacifista. Isso porque a sua família foi assassinada por uma vampira, sendo ele o único sobrevivente.



Rosario + Vampire (ロザリオとバンパイア, Rozario to Banpaia) é um mangá japonês originalmente feito pela Monthly Shōnen Jump, entre 2004 e Junho de 2007; um capítulo extra foi criado na Weekly Shōnen Jump em Setembro de 2007. 

Em Novembro de 2007, o mangá começou a ser redistribuído novamente, agora na Jump Square e está em andamento. No Brasil, o mangá está sendo lançado pela editora JBC, sendo o primeiro volume lançado em agosto de 2010.

O mangá foi adaptado para anime, cuja primeira temporada (no Japão) foi ao ar de Janeiro a Março de 2008. Uma segunda temporada, chamada Rosario + Vampire Capu2, também foi lançada. 

Tsukune Aono, um garoto comum de 15 anos, não pôde entrar para o ensino médio devido às más notas na escola. Porém, seu pai, durante uma caminhada, vê um homem (por ele descrito como um sacerdote) deixar cair ao chão um documento. Ao pegá-lo, viu que se tratava de uma carta-convite ao portador para ingressar numa escola de ensino médio, a Youkai Gakuen (na versão em inglês, Youkai Academy). Sem dar ou pedir satisfações ao homem, leva o folheto para casa e o apresenta à esposa e ao filho como sendo a solução para o problema de Tsukune. Entretanto, a Youkai Gakuen é um internato para youkais (demônios), onde além dos conteúdos curriculares tradicionais os alunos são preparados para coexistir com os humanos e assim conseguirem sobreviver num mundo hoje dominado por estes últimos. Humanos não podem entrar nesta escola, e o regulamento prevê que qualquer um que ali pise seja imediatamente morto. Certo de que entrou ali por engano e temendo por sua vida, Tsukune tenta fugir da escola, mas decide ficar por se apaixonar por Moka Akashiya, uma bela vampira que também estuda ali. Ele decide permanecer, escondendo a sua natureza humana de alunos e professores. Ele também descobre que, quando o rosário em torno do pescoço de Moka é removido, a sua verdadeira natureza emerge. Ao longo do tempo vão entrando outros personagens, como a succubus Kurumu, a bruxa Yukari, a Dama das Neves Mizore, entre outros. A história se desenrola mostrando o amadurecimento dos personagens à medida que vão enfrentando uma série de desafios.


Blood-C é um mangá produzido desde 2011, em colaboração pelo Estúdio Production IG e GRAMPO. Esta é a segunda série produzida pela Production IG relacionado à franquia Blood, sendo o primeiro Blood + , que foi ao ar em 2005-2006. 
A primeira parte da série Blood, Blood: The Last Vampire , estreou como um filme de curta animação em 2000 e mais tarde foi adaptada para um filme live-action homônimo. 
Um filme de animação, Blood-C: The Last Vampire, que atua como uma sequência do Sangue-C série , foi lançado nos cinemas japoneses em 02 junho de 2012.

Saya Kisaragi é uma garota aparentemente normal, que é excessivamente desajeitada e gentil. Ela vive com seu pai, o chefe do santuário de sua cidade natal, e aprende a "arte da espada" com ele. Ela tem que lutar contra os "Antigos", uma saga de monstros que ameaçam sua cidade pacífica, com uma espada deixada por sua mãe desaparecida. No entanto, como ela luta contra eles, ela aprende mais coisas sobre quem ela realmente é e sua verdadeira missão.
A série se passa no mesmo mundo que as outras franquias da série Blood, mas apresenta uma história e cenário completamente diferentes.



Love Hina conta a história de Keitarô Urashima, um rapaz de 20 anos de idade que já foi reprovado três vezes na Universidade de Tóquio, mas continua tentando por ter feito uma promessa a uma menina há 15 anos. Ele se torna gerente de um alojamento feminino e acaba rodeado de garotas: na maior parte do tempo Keitarô surpreende-as nuas sem querer (quase sempre em uma onsen, ou terma japonesa) e recebe golpes fenomenais de artes marciais - sendo que a piada recorrente mais conhecida do universo Love Hina remete justamente a Keitarô ser constantemente agredido pelas moradoras da pensão (mais comumente, Naru).
Os personagens de Love Hina são quase todos, mulheres, porém um dos dois personagens principais é homem: isso mostra a inspiração da série em jogos simuladores de romance e animes como Tenchi Muyo, que "oferecem" várias garotas ao leitor para que pelo menos uma o agrade.
Love Hina já foi exibida pelo Cartoon Network no bloco Toonami nos primeiros meses de 2006 e também foi exibida em 2007 na PlayTV, no bloco Otacraze, junto com Ranma 1/2, Trigun e Samurai Champloo.

A versão em mangá de Love Hina foi lançada inicialmente no Japão pela editora Kodansha. O criador do mangá foi Ken Akamatsu. Em 11 de Maio de 2002, a editora JBC traduziu e lançou Love Hina no Brasil. A mesma editora lançou Love Hina Infinity, uma espécie de enciclopédia sobre a história e o universo de Love Hina, no ano de 2007. O mangá foi lançado no Brasil em 28 edições. No Japão, o mangá foi dividido em 14 edições com o dobro de páginas.
Em alguns volumes do mangá há bônus especiais, como comentários do autor e um concurso de popularidade das personagens, que foi realizado entre os leitores da Shonen Magazine japonesa.
Recentemente a editora JBC começou a lançar Love Hina aqui no Brasil igual ao original, com tradução revisada e a coleção terminando em 14 volumes no total. O mangá também conta com algumas páginas coloridas, como as de Nota do Autor ou do Editor. Além destas, as novas edições do mangá contam com duas capas, a original japonesa respectiva do volume e uma brasileira da primeira vez em que veio para o Brasil, e é justamente essa nova republicação que eu estou colecionando XD'




You Might Also Like

6 comentários

  1. Não curto muito mangá, mas tenho amigos que até hoje insistem para eu dar uma chance para o gênero, rs. Quem sabe um dia, não?!

    Beijos, Gabi Prates
    Palácio de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que sim Gabi. A única preocupação é você gostar e não querer largar rs', e eu até recomendo alguns para aqueles que não tem o hábito de ler do gênero:
      - Mirai Nikki (Diário do Futuro, aqui no Brasil)
      - Ikkitousen (Anjos Guerreiros, aqui no Brasil)
      - One Piece
      - Love Hina.

      Espero que essa cultura japonesa consiga te fisgar um dia. Abraços.

      Att,
      V. I. Neves

      Excluir
  2. Eu não gosto muito, mas a maioria dos meus amigos adoram e eu me sinto meio um peixe fora d'agua >.<

    Beijos, @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que tudo depende um pouco do ponto de vista, Ray. Acho que você ainda não pegou o mangá certo. Mas sempre dê uma chance para o estranho, ele pode te surpreender.

      Att,
      V. I. Neves

      Excluir
  3. aaaah EU ME AMARROOO!!!

    Adoroo O Vampire Knight.. demais!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKK' tinha que ser você não é?! Também é muito bom.

      Att,
      V. I. Neves

      Excluir

Olá você! Não esqueça de postar o link do seu blog aqui nos cometários para que nós também possamos dar uma visitada no seu. Okay?!

Atenciosamente,
Solstício & Equinócio