#1 Diário de Leitura - Iracema [José de Alencar]

13:47:00

Oi, oi pessoal!


Vocês estão por dentro da Maratona Nacional que esta acontecendo entre os blogs, certo? E esses Diários de Leitura vão servir para que eu consiga manter os pensamentos atualizados e ao mesmo tempo realizar uma espécie de "Resenha" dos livros que eu ler. Então vamos lá. 



O primeiro livro que eu li na Maratona foi Iracema, do José de Alencar.




José Martiniano de Alencar é um dos maiores escritores brasileiros. Autor da obra Iracema, um dos romances mais estudados do Brasil. O livro composto por 33 capítulos, narrado na terceira pessoa mostra o desenrolar de um romance entre Martim, colonizador português e Iracema, índia Tabajara.

ATENÇÃO, o texto a seguir pode conter spoilers.

O livro começa com o Martim em uma caçada com seu amigo Poti, um índio Pitiguara, que vem a ser uma tribo inimiga dos Tabajara, sendo que eles acabam se perdendo na mata e encontrando com Iracema, e isso a deixa com medo e assustada, fazendo com que acerte Martim com uma flechada. Mas Iracema se sente culpada pelo o que um tempo depois, e resolve ajudar o homem desconhecido. Ela o leva para a sua tribo, cuida de sua ferida, lhe da de comer e beber e o recebe com um hóspede querido. Mas é claro que sua tribo não o vê dessa mesma maneira, principalmente seu pai, o Pajé Araquém.

O tempo se passa, e Martim espera que o irmão de Iracema, Taubi, para que ele pudesse o levar de volta para a tribo dos Pitiguara, caso contrário ele se veria perdido no meio da mata novamente. Nesse meio tempo, Iracema e Martim, eles acabam se apaixonando e criando um laço muito forte um pelo outro, o que é imensamente proibido pela tribo, já que Iracema é a Guardiã do segredo de Jurema, uma planta rara que possui um poderoso efeito alucinógeno, se tornando assim a maior arma dos Tabajara, e consequentemente, Iracema jamais poderia se envolver com algum homem que não fosse Tabajara. Temendo que o amor deles fosse tirado deles, o casal resolve fugir, com a ajuda de Poti, o que acabou gerando muita confusão e intrigas, não só entre as tribos rivais, mas também com os colonos.

Após um certo tempo, já refugiados longe de casa, Iracema percebe que seu esposo se sente triste por estar afastado tanto tempo da sua família, e por causa disso ele resolve sair por um tempo, voltar para a sua terra natal, deixando Iracema para trás, e além de tudo grávida.
O tempo se passou, e, Iracema deu a luz a um menino chamado Moacir, que significa "Nascido da Dor", devido as grandes labutas que a vida lhe proporcionou. Ao voltar para casa, Martim a encontra em um estado muito crítico, quase a beira da morte, se esforçando para alimentar e nutrir seu filho.

Após a morte de Iracema, Martim a enterra aos pés de uma árvore, que ela jurava ser a seu preferida. Então assim ele leva seu filho para sua terra de origem, educando-o e adequando-o a civilização. Alguns anos depois, Martim volta com seu filho para a tribo Pitiguara, levando consigo sua religião e seus ensinamentos, firmando assim a colonização de um Português com uma índia, de onde surgiu o primeiro Cearense.

"Neste romance indianista, o autor José de Alencar além de idealizar o índio e a mulher, ele exalta a natureza numa narrativa que se apresenta ora onisciente ora onipresente. Tudo para dar mais beleza e expressar sentimento de nacionalidade ao contar a lenda da fundação do Ceará. O texto, como postulara os críticos, é de caráter prosaico e poético. Seu entendimento causa bastante dificuldade, porque Alencar faz bastante uso da linguagem indígena. Porém, esse é um dos motivos que torna a obra riquíssima em detalhes linguísticos, bem como as adjetivações e comparações que são usados para descrever os personagens e destacar a natureza fazem com que o leitor "viaje" através da imaginação até a mata virgem descrita. Essa descrição exuberante, ou seja, o culto a natureza é uma das principais características do Romantismo.
Em suma, a obra é muito importante, pois conta fatos históricos ocorridos na formação do Ceará, do mesmo modo, apresenta de forma explícita um sentimento de nacionalidade a fazer uso de linguagem característica e descrição das belezas naturais, a proporcionar encantamento nos leitores até os dias atuais."
Informações técnicas retiradas do site Web Artigos

Nota: 5,0

~ Vitor Iury Neves

You Might Also Like

0 comentários

Olá você! Não esqueça de postar o link do seu blog aqui nos cometários para que nós também possamos dar uma visitada no seu. Okay?!

Atenciosamente,
Solstício & Equinócio