[WOC] Superman

10:30:00

O ÚLTIMO FILHO DE KRYPTON

"Enquanto um planeta era destruído devido a sua idade avançada, um cientista colocou seu bebê dentro de uma espaçonave construída  as pressas e lançou-a em direção à Terra."

O texto acima apareceu no primeiro painel da primeira publicação da Action Comics 1, em junho de 1938, e essas mesmas palavras valem até hoje. Claro que muita coisa muda ou se adapta, mas a essência sempre continua a mesma: a história de um jovem órfão que uma família e um propósito maior longe de casa. Uma criança abandonada, vinda de uma civilização muito avançada, para mostrar a humanidade uma forma melhor de se viver.

Superman foi criado pela dupla de autores de quadrinhos Joe Shuster e Jerry Siegel. Tudo começou em 1930, ambos moravam e estudavam em Cliverland. Logo se tornaram colegas na Glenville High School, e trabalharam juntos no jornal estudantil local "Glenville Torch", que consumia histórias de ficção cientifica. O editor Hugo Gernsback, à época, já permitia que na revista Amazing Stories os leitores divulgassem seus endereços, para trocar correspondências. O termo "fanzine" sequer havia sido inventado quando Siegel e Shuster começaram a produzir em 1932 aquela que seria definida posteriormente como uma das primeiras publicações do gênero: Science Fiction: The Advance Guard of Future Civilization.

O mais engraçado de tudo, é que no início, Superman havia sido criado como um vilão, que usava os seus poderes psíquicos para controlar a mente das pessoas e assim dominar a humanidade. Com o fim da revista, Siegel e Shuster passaram a se dedicar a outros projetos. Em 1933, o universo dos quadrinhos ainda não estava em alto nos Estados Unidos, então as primeiras tiragens do personagem, que agora aparecia como um super-heróis, totalmente distinto do vilão do ano anterior, foram em tiras de jornal reservadas para histórias em quadrinhos. 
No mesmo ano, Siegel e Shuster finalizaram o que seria a primeira edição do personagem, e intitulada The Superman, e ofereceram a Consolidated Books Publishing, mas a editora infelizmente decidiu parar de trabalhar com histórias em quadrinhos um pouco depois de terem recebido a proposta. Frustrado, Shuster ateou fogo em todo o material que eles haviam produzido até então. Desta história, que poderia ter se tornado o início do Superman, resta apenas a capa, que vocês conferem aqui ao lado.
Nos anos que se seguiram, o personagem passou por uma série de reformulações nas mãos dos criadores, e passaram a oferecê-lo a diversas editoras, mas infelizmente sempre recebiam um sonoro não, até que em 1938, a "National Periodical Publications" - com quem já haviam trabalhado posteriormente - os convidaram para apresentar um novo personagem para as mais novas publicações da National. Superman foi o personagem mostrado para a aparição, e uma vez aprovado, passaram a recortar e colar as tiras de jornal que haviam preparado no formato de páginas de uma aventura em quadrinhos.

Bem, nós podemos dizer que o personagem foi construído e desenvolvido em três etapas, conhecidas como: Era de Ouro; Era de Prata; Era de Bronze. Após as três Eras, nós também temos outros três importantes acontecimentos, não só na história do personagem, mas em todo o processo de desenvolvimento das HQs, que são: A Morte; O Retorno; O Relançamento. Vamos falar mais um pouquinho sobre todas elas agora.

A Era de Ouro se dá de 1938 à 1955, que foi o período dá primeira publicação e o início da popularização dos quadrinhos. Neste período as aventuras de Superman se mostravam um sucesso absoluto, com uma tiragem de 200 mil exemplares, esgotando a revista rapidamente. Mas foi a partir da quarta edição, que a Action começou a apresentar um significativo aumento nas vendas, em comparação com os demais títulos da editora, que entre os anos 38' e 39' já possuía uma tiragem de mais de 500 mil exemplares. Foi em 1939 que o personagem recebeu sua primeira revista dedicada unica e exclusivamente a ele, titulada Superman. Mesmo a revista apresentando aventuras já retratadas nas edições posteriores da Action Comics, apresentou um alto índice de vendas. Em 1942, em uma aparição infrequente na All Star Comics, o Superman estabeleceu-se como um membro da Sociedade de Justiça da América.
Inicialmente, Siegel e Shuster eram responsáveis por toda a criação do personagem, mas todo esse trabalho começou a sobrecarregar os autores. Isso fez com que Shuster estabelecesse um estúdio para ajudar na produção da arte embora ele insistisse em desenhar o rosto de todo Superman que o estúdio produzia. Fora do estúdio, Jack Burnley começou fazendo capas e histórias em 1940. Wayne Boring, inicialmente empregado no estúdio de Shuster, começou trabalhando para DC em 1942 fazendo páginas para Superman e Action Comics.

Já a Era de Prata se dá de 1956 à 1970, período muito importante para os quadrinhos, não só para a DC, mas também para seus inúmeros concorrentes, entre eles a Marvel Comics. Muitos personagens conhecidos mundialmente, e com um poder bastante grande de mercado, foram criados na Era de Ouro, entre a década de 30' e o final da década de 40', entre eles podemos citar: Superman, Batman, Mulher Maravilha, Capitão Marvel e Capitão América. Posteriormente, as revistas em quadrinhos se tornaram um divertimento barato, principalmente para as tropas militares durante a Segunda Guerra Mundial. Mas algo muito importante aconteceu na Era de Prata, dando a DC o que seria uma lufada de ar puro. Em setembro de 1961, foi publicada a 123ª edição da revista The Flash, emblemando a a história Flash of two Worlds, onde Barry Allen  e Jey Garrick se encontram em uma espécie de cross over. Ambos os personagens encunhavam o título de Flash. As histórias de Jey começaram a ser publicadas em na década de 40', mas com a baixa na popularidade dos quadrinhos, muitas revistas, incluindo a Flash Comics, protagonizada pelo heróis que estamos habituados, acabariam canceladas. Só em 1956, coma publicação da Showcase #4, o gênero dos quadrinhos voltaria a sua popularização, trazendo com ela a versão modernizada do Flash. 
Ainda na Era de Prata, estabeleceu-se o conceito Multiverso DC, por causa da edição de Flash of two Worlds. o Multiverso DC, é uma representação ficcional da interpretação da mecânica quântica que propõe a existência de universos paralelos. Então estabeleceu-se que todos os personagens criados durante a Era de Ouro pertenceriam ao universo chamado Terra 2, e aqueles publicados pela editora durante a década de 60' estariam responsáveis pelo universo da Terra 1.
Superman foi um dos três personagens que não tiveram sua publicação interrompidas desde a Era de Ouro, mas era necessário estabelecer quais histórias pertenciam ao cânone estabelecido. O Superman apresentado na Action Comics #1 era Kal-El, o Superman da Terra 2, um personagem distinto, que coexistia com o Superman da Terra 1, personagem que protagonizava as histórias publicadas durante a década de 1960.
Enquanto o Superman da Terra 1 fazia parte da Liga da Justiça, sua contraparte da Terra 2 fazia parte da Sociedade da Justiça, uma equipe formada por outros heróis da Era de Ouro.

A Era de Bronze foi sem dúvida a mais conturbada de todas as gerações. Muitas coisas foram alteradas, tanto nas HQs quanto nas editoras, empresas responsáveis pela produção e distribuição das histórias. A Era de Bronze é considerada até hoje como o momento ápice da reviravolta nas histórias da DC, pois as pesquisas mostravam que aquilo que era produzido já não chamava tanta atenção assim - em relação as histórias, e não à personagens. Em 1973, quando foi publicada pela Marvel Comics a história The Night Gwen Stacy Died - o ápice de um ideal que vários profissionais vinham defendendo naquele período de transição: abordar temas mais maduros, ainda que estes estivessem sendo "filtrados" pela "lente simplista dos super-heróis". Foi ai que o Superman começou a ter sua maior mudança.
Com muitos contratos e demissões, a Editora DC passou por alguns desentendimentos, mas no final das contas, os profissionais decidiram que toda aquela história de múltiplos universos paralelos, estavam mais afastando leitores do que trazendo-os. Frente a esta situação, a DC Comics decidiu que era necessário unificar todas as histórias publicadas até então, de um único universo coeso, e compartilhá-lo. Mas para poder renovar os personagens que haviam sido salvos, eles precisam, literalmente, destruir todos os demais universos com os seus respectivos personagens dentro deles. Aproveitando que 1985 marcaria o 50º aniversário da editora, decidiu-se pelo lançamento de "Crise nas Infinitas Terras", uma minissérie em 12 edições que causaria a destruição de todas as "terras paralelas", encerrando a continuidade e estabelecendo uma nova, revitalizando a história ao mesmo tempo em relançava todo o universo de personagens da DC Comics.

Mesmo depois de todos os esforços feitos em prol da DC e do Superman, as vendas das revistas estavam em baixa. Então, com o auxílio de vários profissionais, John Byrne - escritor e ilustrador que ficou responsável pelo Superman desde o final da Era de Bronze - decidiu mostrar ao mundo como ele seria sem o Superman. Na época, esse tipo de evento era inédito nas HQs, o que fez dele um dos momentos mais aguardados da histórias em quadrinhos. A saga começou em O Homem de Aço #18, e estendeu-se por várias edições - até a publicação da edição tão aguardada em 1992 ("A Morte do Superman") -, com a criatura monstruosa, virtualmente indestrutível, chamada Apocalypse. A batalha decorreu-se nas ruas de Metrópolis, tendo como desfecho a morte de Apocalypse e a tão aguardada morte do Superman. "Superman esta morto!", gritavam todos os tabloides e manchetes de jornais ao redor do mundo. Uma comoção fora criada. Ou pelo menos era isso que a editora queria que acontecesse.

Felizmente, fora no decorrer dos anos de 1999 e 2010, que a queridíssima editora trouxe de volta dos mortos nosso herói em "Superman: O Retorno", e com ele trazendo de volta os valores e a mitologia da Era de Prata. Após seu triunfante e merecido retorno, muita história foi contada, e mais algumas profecias obscuras aqui e acolá. Nada como um típico dia na vida do Superman.

Com o passar dos anos, inúmeras desambiguações em relação ao Superman foram produzidas, desde jogos, filmes e animações.
Em 1978 foi lançado o filme Superman - The Movie, estrelado pelo sensacional ator norte-americano Christopher Reeve, que também protagonizou os próximos três filmes da franquia que se seguiram em 1980, 1983 e 1987. Ao contrário do que muitos pensam, o filme Superman - O Retorno lançado em 2006 e protagonizado por Brandon Routh é sim o capítulo final e que dá continuação aos filmes estrelados por Reeve. 
Mas antes disso, foi produzido um mini-seriado em 1948 constituído por 15 capítulos e distribuído pela Columbia Pictures. Essa série foi um grande marco na história do Superman, pois era a primeira vez que o personagem aparecia nas telinhas.


to be continued...

You Might Also Like

0 comentários

Olá você! Não esqueça de postar o link do seu blog aqui nos cometários para que nós também possamos dar uma visitada no seu. Okay?!

Atenciosamente,
Solstício & Equinócio